AS SAMPRADAYAS VAISNAVAS

Temos quatro grandes escolas vaisnavas:

1.MADHAVA GAUDYA SAMPRADAYA

Também conhecida como Brahma Sampradaya, adora Radha-Krishna. Ela vem do Senhor Brahma. Principal acarya: Madhava (1238-1317 d.C.). Doutrina: suddhadvaita ou dvaita-vada (dualismo puro) . Existe uma eterna distinção entre o indivíduo e o Absoluto. De Madhavacarya o Senhor Caitanya assimilou a total rejeição da filosofia mayavada e o principio da adoração à deidade do Senhor Krsna.


2.RAMANUJA SAMPRADAYA

Também conhecida como Sri Sampradaya ou Lakshmi Sampradaya, adora Lakshmi-Narayana. Ela vem de Lakshmi. Principal acarya: Ramanuja (1017-1137 d.C.). Doutrina: vishistadvaita (não-dualismo qualificado). Só existe o Deus Absoluto que contém tudo dentro de si. Todos os seres individuais são fundamentalmente iguais.  De Ramanujacarya, o Senhor Caitanya aceitou o conceito de devoçao pura, sem mácula alguma de Karma (ganho material) e jnana (monismo), e o serviço aos vaisnavas.


3.VISHNUSWAMI SAMPRADAYA

Também conhecida como Rudra Sampradaya. Ela vem do Senhor Shiva. Principal acarya: Vallabha (700 d.C.). Doutrina: vishuddhadvaita (não-dualismo puro) ou shuddha-advaita-vada. Só existe o Ser Absoluto e tudo o mais é falso. De Visnusvami, o Senhor Caitanya adotou a filosofia por trás da atitude de se depender plenamente de Krsna e a beleza do serviço devocional espontâneo.


4.NIMBARKA SAMPRADAYA
Também conhecida como Sanaka Sampradaya ou Nimbaditya Sampradaya ou Kumara Sampradaya. Ela vem de Sanaka Kumara (um dos quatro Kumaras).Principal acarya: Nimbarka (1130-1200 d.C.). Doutrina:dvaitadvaita-vada (dualismo na unidade ou dualismo com monismo). A alma é una em qualidade e não é una em quantidade com Deus. Nimbarkacarya contribuiu com o ideal máximo, o elevado amor que as gopis demonstraram por Krsna em Seus passatempos de Vraja; e a necessidade de refugiar-se exclusivamente nelas. De Nimbaditya, o Senhor Caitanya aceitou o refúgio exclusivo aos pés de Srimati Radhika e os sentimentos das gopis.


    A filosofia Vaishnava estabelecida por Sri Chaitanya Mahaprabhu é conhecida como "achintya bedhabedha tattwa", a inconcebível unidade (adwaita) e diferenciação (dwaita) entre o Infinito (Deus) e o infinitesimal (nós). Unificando as quatro sampradayas, Ele revelou o aforismo "achintya bedhabedha tattwa",  a filosofia segundo a qual o Senhor Supremo, por Sua insondável potência transcendental, é , simultânea e inconcebivelmente (acintya) igual(bhedha) as Suas criações e diferentes(abheda) delas.