Como Sri Sri Radha-Ramana se automanifestou?



     Quando menino, Gopal Bhatta (filho de Venkata Bhatta) serviu Sri Caitanya Mahaprabhu de muitas maneira durante a sua estadia no sul da Índia. Quando Mahaprabhu decidia tomar banho no sagrado rio Kaveri, Gopala Bhatta costumava ir com ele segurando o pano e a kaupina de Mahaprabhu. Então, depois de Mahaprabhu tomar banho e voltar para seu quartinho, Gopala Bhata limpava e secava as roupas molhadas de Mahaprabhu. Ele cozinhava para Mahaprabhu e fazia muitos outros serviços. Serviu Mahaprabhu durante o dia e a noite, e Mahaprabhu ficou muito satisfeito com ele.
 
   Gopal Bhatta não era apenas um excelente servo de Caitanya Mahaprabhu, mas ele também possuía grande conhecimento, isto porque ele foi ensinado por seu tio Prabhodananda Sarasvati, que era uma das pessoas mais instruídas de seu tempo. Além disso, Caitanya Mahaprabhu tinha tornado Prabhodananda Sarasvath um grande rasika Vaisnava (uma alma auto-realizada que provara as doçuras transcendentais de sri sri radha krsna) e assim, Prabhodananda Sarasvath foi capaz de escrever livros como o incomparável "Sri Radha-rasa-sudhanidhi, que se destaca como uma jóia brilhante entre todos os livros transcendentais vaisnavas.
 
   Em sua viagem no sul da Índia, Caitanya Mahaprabhu descobriu o livro "Krsna- karnamrta" e o "Brahma-Samhita". Mas, existiu um terceiro livro que se tornou tão importante ao ponto de nossos acaryas da sucessão discipular terem regularmente cantado os seus versos em sânscrito, e este livro é o grantha Radha-rasa-sudhanidi que é totalmente rasika [com relação às doçuras de madhurya-rasa, ou a doçura do amor transcendental], no qual Prabhodananda Sarasvati apresenta Radhika como aquela que controla Krsna.

   Krsna sempre quer servir Srimati Radhika e Prabhodananda Sarasvati implora para ser uma palya-dasi de Sri Radha. Este é o maior tema do Gaudiya Vaisnavas. Srila Rupa Goswami, Srila Raghunatha dasa Gosvami e Srila Gopala Bhatta sempre destacaram como seu ponto de vista, a posição de 'Radha dasi' e nunca qualquer outra coisa - eles querem ver Krsna servindo Srimati Radhika, e não o contrário.

  Prabhodananda Sarasvati escreveu no "Radha-rasa-sudhanidhi": "Porque as gopis choram e gritam por Krsna? Krsna é que deve chorar, rolando pela terra e lamentando, 'Ó Radhika, onde você está? Estou morrendo sem você’. Krsna é que deve procurar aqui e ali, em todos os bosques e montanhas por Sri Radha. Krsna tem o desejo de se encontrar com Radhika e obter o darsan da poeira dos pés de lótus dela."
 
  Gopal Bhatta aprendeu todos esses tópicos de Prabhodananda Sarasvati e portanto, Prabhodananda Sarasvati é o seu guru-pada-padma. Não podemos imaginar a beleza dos ensinamentos rasika e bhavuka (cheio de emoções transcendentais) que Gopal Bhatta Goswami recebeu de seu guru.

   Depois que Sri Caitanya Mahaprabhu deixou Sri Rangam, Gopala Bhatta ficou louco para se encontrar com Ele e servi-Lo, mas Mahaprabhu lhe disse: "Você deve servir o seu pai, não somente porque ele é seu genitor, mas ele também é o seu guru. Você deve servi-lo, mas depois, você deve ir até onde seus irmãos espirituais mais velhos Rupa e Raghunatha estão em Vrndavana e permanecer com eles.”
  Gopal Bhatta queria ir até Puri, mas ele não poderia fazer isto, porque Mahaprabhu o havia ordenado a ficar em casa e cuidar de seus pais e somente depois deles deixarem o seu corpo é que ele poderia ir para Vrndavana, servir diretamente aos pés de lótus de Srila Sanatana Gosvamipada e Srila Rupa Gosvamipada. Depois que tudo isto aconteceu, Gopal Bhatta pensou sobre onde ele deveria viver e como alcançar os pés de lótus de Caitanya Mahaprabhu, e foi em direção a Vrindavana.

   Ele estava procurando uma forma de chegar a Vrndavana. Em sua jornada, ele foi até os Himalaias onde o Rio Gomati corre. Quando estava se banhando no rio, percebeu que uma grande Salagrama estava seguindo ele. Aos poucos, a salagrama foi se aproximando e parecia estar dizendo: "Eu quero o seu serviço, Gopala Bhatta. Por Favor, venha me servir." Desta forma, ele pegou a Salagrama. Ele mantinha a salagram em seus braços, às vezes na cabeça, em outros momentos em seus olhos e às vezes em seu coração. Ele pegou a Salagrama e foi para Vrndavana, onde se encontrou com Rupa e Sanatana. Quando todos se encontraram, Rupa e Sanatana abraçaram fortemente este puro rasika Vaisnava, conhecido como Gopal Bhatta Goswami. Nesse meio tempo Caitanya Mahaprabhu desapareceu deste mundo

  Em Vrndavana , Gopala Bhatta foi ao Radha-Ramana-Ghera próximo ao Seva Kunja na área de Nidhuvana - um lugar muito sagrado e muito secreto de Radha e Krishna. Lá ele começou a pensar: "Como posso servir este Salagrama ?" Ele queria ver os olhos do Senhor, o rosto, os braços, a forma com as três partes curvadas de Sri Krishna e os Seus pés de lótus . Ele queria decorar a salagrama no humor de Jhulana (o festival de balanço de Sri Sri Radha Krsna).

  Durante a noite ele estava muito preocupado, pensando: "Como posso servir a salagrama? Se ela tivesse uma forma dobrada em três, que é muito bonita e um rosto sorridente com flauta, isso seria muito, muito bom para a execução de seva". Então, à meia-noite, a Salagrama disse-lhe: "Óh Gopala Bhatta, venha ver ver o quão bonito eu fiquei ."

   Gopala Bhatta se levantou rapidamente e foi até onde estava a salagrama quando ele viu: "Que forma linda curvada em três partes.” Radha-Ramana havia se manifestado. Tinha o rosto de Gopinatha, o peito de Govindaji e os pés de Madana Mohana. Govinda, Gopinatha e Madan Mohan apareceram simultaneamente em Radha-Ramana - três em um. Gopala Bhatta ficou muito, mas muito feliz quando viu isso. Ele chamou todos os Gosvamis que por sua vez ficaram todos espantados, meditando em como é gloriosa a bhakti de Gopala-bhatta, motivo pelo qual a Salagrama se transformou em Radha-Ramana.

  Você podem imaginar o Vaisnava de primeira classe que ele era para isto ter acontecido. Ele não era apenas um Vaisnava, mas muito querido e próximo ao Casal Divino Sri Sri Radha e Krishna. Ele é Guna Manjari em passatempos de Krsna. Por causa de suas orações e pedidos, a Salagrama tornou-se por sua própria vontade a thakuraji de Radha-Ramana.