Rio Viraja

    O Rio Viraja (a linha que divide a natureza material e espiritual) é o exato local onde os três modos da natureza material coexistem em harmonia, e mesmo que o predomínio dos três modos não seja distinguido no Rio Viraja, a potência interna de Bhagavan ainda não se encontra em estado ativo. A ação e a reação materiais cessam no Viraja, o rio da passividade, que se localiza na margem mais alta deste mundo ilusório (mayika). E acima do Viraja encontra-se o destino dos shankaritas —o estágio "abscissa" (terminação) ou o plano não diferenciado do Brahman, chamado de Brahmaloka e que se situa na parte inferior do domínio espiritual. Ambas são áreas vagas de "imortalidade negativa". Brahmaloka é um estado marginal ou "fronteiriço" a meio caminho entre os mundos material e espiritual. Realmente, todas as religiões do mundo em geral alcançam o Brahmaloka, o plano não diferenciador do Absoluto. Além do rio Viraja encontra-se o Dhama Sagrado de Vaikuntha, e acima deste encontra-se Sri Gokula, conhecida como Vrindaranya.
 
  “A linha marginal entre a manifestação material e a manifestação espiritual é o Rio Viraja, e além do Viraja, que é a corrente transcendental da perspiração do corpo do Senhor, há os três quartos da manifestação da criação de Deus.” (Srimad-Bhagavatam 2.9.10).