Por que somente o alcançar dos pés de lótus de Krishna é denominado liberação?


   



Porque o abrigo aos pés de lótus de Krishna nos situa automaticamente fora da influência da matéria. As outras formas de liberação são somente situações temporárias, pois a alma deve cair novamente quando os efeitos estão concluídos. A bem-aventurança extasiante de beber o néctar dos pés de lótus do Senhor é uma situação permanente; portanto o que mais pode ser chamado de liberação?
     As formas de liberação:
Considera-se a existência de cinco tipos de liberação(moksha) :
1)Sālokya — ou viver no mesmo planeta que o Senhor.
2)Sarshiti— ou alcançar opulência divina similar à do Senhor.
3)Samipya — ou se tornar um associado íntimo do Senhor.
4)Sarupya — ou obter os aspectos corporais similares ao do Senhor.
5)Sayujya — imergir na refulgência impessoal do Senhor.


Fonte: Vaisnava Siddhānta Mālā - Uma Guirlanda de Verdades Vaisnavas de Srila Saccidananda Bhaktivinoda Thakura

Como os pecados são divididos?

 
Os pecados podem ser dividido em duas categorias: prarabdha e aprarabdha.
   Pecados prarabdha são aqueles que a entidade viva deve sofrerá reação em sua atual vida. Os pecados cujas reações serão sofridos na próxima vida de alguém são chamados aprarabdha. Os pecados cometidos pela entidade viva em inúmeras vidas combinados juntos como pecados aprarabdha  em seu próximo nascimento frutificará como pecados prarabdha. Assim, no âmbito da jurisdição da lei eterna, a Jiva é obrigada a sofrer as reações dos pecados que cometeu em suas inúmeras vidas. Nascimento em uma família de brahmanas ou em uma família muçulmana, em uma família rica ou em uma família pobre, ser feio ou bonito, são todos os resultados de prarabdha-karma. Nascimento em uma família intocável (yavana) é devido também a pecados prarabdha.
    Devoção imaculada destrói os dois tipos de pecados. Se o caminho de Jnana é seguido corretamente, ele destrói aprarabdha-karma. Mas de acordo com as escrituras dos jnanis, é preciso sofrer as reações de seu prarabdha-karma. Mas bhakti também destrói prarabdha-karma.
 
Para aqueles que tem invariável e exclusivo apego ao Senhor Vishnu, a sua (1) aprarabdha, o acumulado  estoque dos pecados que o estão enganando em uma condição dormente, (2) Kuta, pecados que têm tendência para a produção de sementes, o que significa que elas estão começando a tomar forma como desejos pecaminosos, (3) bija, as sementes que estão estabelecidas como desejos pecaminosos, e (4) Prarabdha, pecados frutificados , são todos destruídos na sequência por bhakti.
 
 
 
Explicação de Srila Bhaktivinoda Thakur
 

 

Como Bhagavam é a origem de tudo?


   A verdade absoluta realizada exclusivamente através do processo de bhakti é chamado de Bhagavan. No Bhakti-sandarbha as características de Bhagavan são descritas: "pari-purna-sarva-sakti-visista-bhagavan-iti- a completa verdade absoluta dotada de todas as transcendentais potências é chamado de Bhagavan”. Depois da criação do universo, Bhagavan entra nele através de Sua expansão parcial como Paramatma: como Garbhodakasayi, Ele está situado como a Superalma do completo universo, e como Ksirodakasayi, ele situa-se como a Superalma no coração das entidades vivas.
  Novamente, em distinção direta do mundo material manifesto, Bhagavan aparece como o Brahman impessoal. Assim, Bhagavan é o original aspecto de Deus e da verdade absoluta suprema. Sua intrínseca forma (svarupa-vigraha) é transcendental.
Explicação de Srila Bhaktivinoda Thakur

Como argumentar que o Senhor tem forma?

  
     Aqueles que tentam perceber a verdade absoluta através do cultivo de conhecimento (jnana) não podem realizar nada além de Brahman. Através de tal esforço espiritual tentam atravessar a existência material por negação das qualidades do mundo material (um processo conhecido como neti-neti); assim eles imaginam Brahman  ser inconcebível, não-manifesto, informe e imutável. Mas apenas imaginar a ausência de qualidades materiais não concede uma realização de fato  da verdade absoluta.
        Tais espiritualistas pensam que porque os nomes, formas, qualidades e atividades no mundo material são todos temporários e dolorosos, Brahman - o que existe além da contaminação da matéria - não pode possuir eternos nomes, forma, qualidades, passatempos e assim por diante.
    Eles argumentam, com base em evidências dos srutis, que enfatizam a ausência  material de atributos no Supremo, que a verdade absoluta está além do alcance da mente e das palavras, e que não tem ouvidos, membros ou outras partes do corpo.
    Esses argumentos têm algum lugar, mas eles podem ser resolvidos ao analisar a declaração de Advaita Acharya encontrado no Sri Caitanya-chandrodaya-Nataka (6.67) escrito por Kavi Karnapura.
    Em qualquer declaração  dos srutis onde o aspecto impessoal da verdade absoluta é indicado, nos mesmas declarações o aspecto pessoal é também mencionado.
    Com cuidado análise de todas as declarações dos srutis como um todo, podemos ver que o aspecto pessoal é mais enfatizado. Por exemplo, um sruti diz que a verdade absoluta não tem mãos, nem pernas e nem olhos, mas entendemos que Ele faz tudo, viaja por toda parte e vê tudo.
    O entendimento puro desta declaração é que Ele não tem mãos materiais, pernas, olhos e assim por diante como as almas condicionadas têm. Sua forma é transcendental, o que significa que está além dos vinte e quatro elementos da natureza material e é puramente espiritual.
Fonte : Bhakti-tattva-viveka - DELIBERATION UPON THE TRUE NATURE OF DEVOTION, composed by Srila Bhaktivinoda Thakura.

Por que algumas pessoas não conseguem ter filhos?


  O propósito do matrimônio é gerar filhos, porque o filho é necessário para libertar seu pai e antepassados de qualquer condição de vida infernal em que eles possam estar. Canakya Pandita diz: sem um filho , a vida familiar é simplesmente abominável. O rei Anga era um rei muito poderoso nesta vida, mas, devido as suas atividades pecaminosas anteriores, ele não podia ter um filho. Conclui-se , portanto, que, se uma pessoa não consegue ter filho, isto se deve a sua vida pecaminosa passada.

Palavras de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada
 
 

Quem é o guru de Krishna?

      Uma vez  as gopis brincando  com Krsna, disseram: "Você não tem nenhum guru?"

      Krsna respondeu: "Quem disse isso? Meu Gurudeva é Bhaguri Rsi".

     É geralmente aceito que o guru de Krsna foi Sandipani Muni, mas ele realmente  era como um siksa-guru. Seu guru nas  64 artes. Ele era como um professor. Krishna recebeu  o radha-mantra de Bhaguri Rsi e, portanto, é Bhaguri Rsi que é realmente o guru de Krsna. Neste mundo, quando Krsna ou qualquer de Seus avataras descem, eles aceitam um guru.
 
Explicação de Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaja
 
 

Como entender que a verdade absoluta é Krsna?

     
    A verdade absoluta é realizada em três estágios, que são expressos como Brahman, Paramatma e Bhagavam. É essencial  por anos estudar muito atentamente e guardar esses ensinamentos nos nossos corações. Aqueles que conhecem essa verdade estabelecida, como Narada, Vyasa, Srila Rupa e outros, concluíram que nada está separado de Krsna., Essa verdade estabelecida é chamada de advaya-jnana-tattva, é o principio essencial que Krsna é um sem um segundo.
    Todos estão subordinados a Krsna, incluindo Baladeva e todas as outra encarnações, todos os semideuses, e todas a entidades vivas, descendo até os vermes e plantas. A ilusória natureza material, maya, também é subordinada a Ele. Apenas Krsna é independente. Tudo o que vemos é a manifestação de Seu poder.
    Srimati Radhika é o poder de Krsna, e Laksmi Devi é a manifestação de Radhika. Nós jivas neste mundo material também estamos conectados com Krsna. Este principio é chamado unidade na diversidade. Conhecedores desta verdade fundamental entenderam que a verdade absoluta é Sri Krishna.
 
 
Explicação de  Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaja