O Levantamento de Govardhana.


   
   O Senhor Supremo Original Sri Krsna Ele mesmo revelou os aspectos ontológicos [a natureza do ser] e as glórias de Sri Govardhana. Foi especialmente narrado na história e civilização da Índia mais antiga, mencionada no Rg Veda, que Indra, a deidade que preside  as nuvens, era adorada na Terra para que as culturas pudessem ser cultivadas e reanimadas pelas chuvas. Nós ouvimos do Srimad-Bhagavatam que, de acordo com a tradição humana e os costumes, o culto anual ao Senhor Indra foi introduzido em Vraja-dhama para que pudesse haver cultivo da terra e a proteção das vacas. Esse era o único meio de sustento para os moradores de Vraja-dhama.

  Sri Krsna viu que o seu pai Nanda Maharaja e outros, colecionavam muitos artigos
Senhor Indra
para o Indrayag (cerimônia de adoração para o culto de Indra).
Sri Krsna perguntou a seu pai sobre a utilidade de executar tal função. Nanda Maharaja disse que se Indra, a deidade das nuvens, fosse adorado devidamente, haveria chuvas no momento apropriado. Por isso, as culturas de arroz e gramíneas seriam cultivadas e isso seria útil para a subsistência de todos e para o sustento das vacas. Nanda Maharaja disse novamente: se negligenciarmos realizar nosso costume e dever hereditário, nunca obteremos o bem-estar eterno. Depois de ouvir isso de Seu pai, para enfurecer Indra, Sri Krsna fez os Vrajavasis (residentes de Vraja) entenderem a futilidade do culto a Indra e convencê-los da eficácia de adorar Govardhana: "Indra é um semideus sem qualquer poder de desfazer os frutos das ações. Ele não pode premiar frutas ruins por uma boa ação e boa fruta por uma ação ruim.  Nascimento e morte, felicidade e aflição são devidas às ações das almas individuais. Mesmo as ações mundanas são a causa da inimizade, amizade e indiferença.  Indra não pode desfazer os frutos das ações. Embora o cultivo, o comércio, a proteção das vacas e o empréstimo de dinheiro sejam o sustento dos vaishyas (classe comercial da sociedade), os Vrajavasis só aceitaram a proteção das vacas como seu principal meio de sustento.

  Os moradores de Vraja-dhama vivem nas florestas e nas montanhas,sendo que cidades e habitação humana lotada, não são boas para eles. Portanto, eles devem começar uma função de oblação (oferenda) para o culto das vacas, brahmanas e montanhas. Assim como uma senhora impura que deixa seu marido não pode obter o bem-estar real ao servir  outra pessoa, da mesma forma, o Vrajavasi não pode obter o bem-estar real ao servir os outros, deixando o serviço de Giriraja Govardhana, que é seu abrigo real". Krsna aconselhou os leiteiros de Vraja-dhama a adorar Giriraja Govardhana com todos os artigos coletados para o Indrayag. Ele também os aconselhou a trazerem leite, iogurte e outros produtos lácteos para cozinhar diferentes preparações de alimentos, a saber: Payasa (preparação de leite, arroz e açúcar), Mudgasupa (sopa preparada a partir de uma espécie de ervilha), Pistaka e Saskuli (preparações doces feitas de arroz, coco, açúcar e leite). Krsna também ensinou o método de adoração de Giriraja Govardhana: deveria ser feito uma cerimônia de entrega de vacas e oferecer honorários aos brahmanas védicos que realizarão a oblação. Brahmanas devem ser servidos com bons preparativos de alimentos.  Depois disso, todos os outros, incluindo o candalas (casta mais baixa), pessoas caídas e cães devem ser atendidos com ofertas apropriadas.

  As vacas devem ser servidas com grama fresca. Depois de Govardhana-puja, todos devem ser usar ornamentos, bons vestidos, ungimentos e  sentarem para honrar prasada.  Por fim, todos devem circumbular a montanha de Govardhana com as vacas, brahmanas e  lamparinas. Sendo encantado e subjugado por seu profundo carinho maternal, Nanda Maharaja adorou Giriraja Govardhana e todos os brahmanas adequadamente com todos os artigos coletados para o Indrayag, conforme o desejo de seu amado filho Sri Krsna. Depois disso, ao servir as vacas com erva e palha, Nanda Maharaja realizou o parikrama de Govardhana com todos os gopas e gopis, com as vacas liderando na frente.

  Todos os gopas foram adornados com belos ornamentos e as gopis sentadas nos carros de boi executaram Govardhana parikrama enquanto constantemente cantavam as glórias de Krsna. Para proclamar aos Vrajavasis que Giriraja Govardhana não é diferente de Krsna, Ele pronunciou repetidamente e alto as palavras, ‘Eu sou a montanha Govardhana’, e começou a comer todas as ofertas dadas a Govardhana, estendendo milhares de mãos. 
Em outra forma de Gopala, o filho de Nanda Maharaja, Krsna, fez reverências a Sua própria forma manifestada de Govardhana.  O próprio Sri Krsna introduziu a prática de fazer reverências prostradas para Govardhana, bem como a circumbulação de Govardhana. Aqueles que ignoram Govardhana serão mortos por Ele sob a forma de serpentes, etc.

  Devaraja Indra, o imperador dos semideuses, ficou furioso com os Vrajavasis por interromperem o Indrayag.  Indra oprimiu o Vrajavasis com incessantes chuvas fortes e um forte cataclismo de granizo. Todos os Vrajavasis ficaram severamente angustiados e se refugiaram em Sri Krsna. Ele então os protegeu levantando Govardhana com a mão esquerda. Mais tarde, Devaraja Indra conseguiu entender seu erro e chegou até Krsna com a vaca Surabhi. Ele adorou Krsna e orou a Ele para perdoar sua ofensa. Giriraja Govardhana é idêntico a Krsna e Ele também é o principal servo de Krsna.

 
 Srila Raghunatha Dasa Gosvami reza para Giriraja Govardhana da seguinte maneira: Ó Gririraja Govardhana, quando seu nectário nome foi proferido a partir dos lábios de lótus de Srimati Radhika no Srimad-Bhagavatam (10.21.18), 'Hantayam adrir abala hari-dasa-varya', ou seja, 'Ó gopis inocentes de coração simples, esta montanha é primeiro entre todos os servos de Sri Hari’, então Você foi consagrado por todos os Vedas como a nova bela tilaka (marca de pasta de sândalo) de Vraja-dhama.  Por isso, rezo para que Você me dê uma morada na sua vizinhança. (Sri Govardhana-vasa-prarthana-dasakam, verso 8).

  O Senhor Supremo Sri Krsna suspendeu o culto aos semideuses e apresentou o culto a Govardhana, ou seja, ele introduziu o serviço de Krsna e Krsna-bhaktas. Um significado de Govardhana é purificar os órgãos dos sentidos, então Govardhana-puja significa o aprimoramento dos órgãos espirituais eternos transcendentais de Krsna-bhaktas.
Govardhana puja

  Uma vez que vários pratos de vegetais cozidos foram oferecidos a Giriraja Govardhana em Govardhana-puja, este festival também é conhecido como o Festival de Annakuta.  Sri Govardhana-dhari Gopala foi originalmente instalado por Vajra (o neto de Krsna e filho de Aniruddha). Devido à extraordinária devoção pura de Srila Madhavendra Puripada, Govardhana-dhari Gopala reapareceu em Govardhana, perto do banco de Govinda-kunda. Madhavendra Puripada realizou o Festival Annakuta em Kali-yuga. Este tópico é narrado em detalhes no Caitanya-Caritamrta (Madhya-lila, capítulo 4).





Por Srila Bhakti Ballabh Tirtha Maharaja