Sri Rasikananda Deva Goswami


Sri Rasikananda
   Rasikananda Deva Goswami nasceu em 1512 da era Saka (1590 dC) na aldeia de Rohini ou Rayni, no distrito de Midnapore. Seu nome era Rasika Murari Patniak. O nome de seu pai era Raja Achyutananda e sua mãe, Bhavani Devi. Raja Achyutananda era um Orissan da casta Karana, o equivalente a Kayasthas em Bengala. Um Vaishnava está além das qualidades materiais e não deve ser julgado em termos de suas origens de casta. Achyutananda e Rasikananda nasceram na casta Karana para abençoá-la.

  Podemos assumir que Rasikananda é uma manjari em Krishna lila. Embora seu mestre espiritual Shyamananda
Shyamananda Prabhu
tenha sido iniciado por Hriday Chaitanya Goswami, que adorou o Senhor no humor de amizade, mais tarde se abrigou no humor conjugal devido à associação dos devotos Vraja liderados por Jiva Goswami. Shyamananda iniciou assim Rasikananda no culto a Radha e Krishna.

   Ele estava ansioso para encontrar um mestre espiritual que pudesse dar orientação sobre o caminho místico. Um dia, enquanto estava em Ghantashila, ele foi a um lugar solitário para meditar. Acabou de entrar em um transe muito profundo quando ouviu uma voz de uma fonte invisível dizer: "Murari! Você precisa estar mais ansioso. Seu guru é Shyamananda e você vai encontrá-lo aqui muito em breve. Abrigue-se nele e sua vida será bem sucedida”.

   Ao ouvir a mensagem divina, Murari começou a cantar o nome de Shyamananda em suas contas com entusiasmo alegre. Ele passou toda a noite chorando por ansiosa expectativa para conhecer seu guru, até que, finalmente, no final da noite, ele teve uma visão em sonho de Shyamananda Prabhu, que lhe disse: "Não se preocupe mais, pois você vai me encontrar neste mesmo dia”.

  Ao amanhecer, Rasika Murari estava à procura de seu guru, quando viu a figura alta de Shyamananda se aproximando dele, tão resplandecente quanto o sol. Rodeado por discípulos como Kishor Das, ele estava dançando em um estado de absorção no amor divino enquanto cantava os nomes de Nityananda e Chaitanya. Rasika Murari estava ansioso por encontrar seu guru e imediatamente caiu a seus pés. Shyamananda o abraçou carinhosamente. Então, depois de lhe dar o mantra Radha-Krishna, ele o ofereceu até Chaitanya e Nityananda Prabhus. Toda essa história demonstra como podemos encontrar um guru através de orações sinceras.

  Shyamananda investiu Rasikananda com tal poder espiritual que ele conseguiu converter muitos criminosos, ateus, muçulmanos e outras almas espirituais caídas no caminho da devoção, concedendo a joia de prema sobre todos eles.

  Em uma ocasião, um muçulmano perverso tentou silenciar Rasika Murari fzendo-o ser atacado por um elefante intoxicado, mas Rasikananda conseguiu transformar o elefante em discípulo e envolvê-lo no serviço a Vishnu e Vaishnavas. Todos os que testemunharam esse evento incrível foram surpreendidos com o poder espiritual de Rasika Murari e o zamindar (latifundiário) muçulmano maligno veio e se rendeu a ele.

 
Os pés de lótus de Sri Rasikananda
Ele converteu seres vivos ilimitados sem qualquer consideração de sua casta ou origem religiosa. Rasikananda permaneceu intoxicado constantemente em Harinam sankirtana. A Prema-vilasa corrobora isto no capítulo 19: "Ele converteu muitos criminosos e muçulmanos".

   O Raja de Mayurbhanj de Orissan, Vaidyanath Bhanj, também foi atraído pelo poder transcendental de Rasikananda e se tornou seu discípulo. Ele escreveu uma série de trabalhos, incluindo Syamananda-staka, Bhakta-Bhagavatastaka e Kunjakeli-dvadasak.

Shri Rasikanand Prabhu foi um erudito eminente, músico e um flautista perfeito. De acordo com muitos granthas (livros sagrados), ele era a encarnação de Shri Anirudha e a encarnação emocional de Shri Shriwaas Pandit, o mais querido servo de Shri Chaitanya Mahaprabhu.

 Dizem que, antes de seu desaparecimento em 1652, ele foi com sete de seus discípulos para uma aldeia chamada Bansdaha, perto de Jaleswar. Mahaprabhu passou pela aldeia quando viajava para Puri com Nityananda. (Chaitanya Bhagavata 3.2.263-4).


As deidades do Templo


 

Rasikananda e seu grupo caminharam de lá para Remuna, cantando kirtan em todo o caminho. Quando chegaram ao pátio do famoso templo de Khirchora Gopinath, Rasikananda de repente juntou-se ao corpo da deidade de Gopinath. Seus discípulos também deixaram seus corpos no mesmo lugar. O  samadhi de Rasika Murari e os de seus sete associados ainda são mantidos no pátio desse templo.



O Templo Kheer-Chora Gopinath em Remuna




Relato de  Srila Bhakti Ballabh Tirtha Maharaja