Como evitar a política entre os devotos ?


   “As pessoas não podem ficar sem política. Eles não vão fazer harinama, mas em nome de harinama eles vão fazer política. Eles não vão repetir Nama. Eles não acreditam que Krishna é a única personalidade  que pode nos salvar de todas as calamidades. Eles não acreditam nisso. Eles pensam que a sua força de vontade, as suas próprias capacidades, as suas qualificações ou suas táticas podem salvá-los. É por isso que você encontra política nas instituições. Onde quer que você vai, você encontrará política. Esta é kali. Kali significa lutar. Esta é a idade de disputas. Todo mundo quer lutar ... ".


Palavras de Srila Bhakti Vaibhava Puri Goswami Maharaj

Como trazer o Jhulan Yatra em nossos corações?


  Certa vez, Sri Radhika estava sentada no Jhulan (balanço) e Krsna estava empurrando o balanço muito gentilmente. De repente Ele empurrou com tanta força o balanço que Sri Radhika se assustou e começou a chorar, “Ó Krsna, salve-Me, salve-Me!" Ele subiu no balanço e Radhika abraçou Krsna bem apertado, fazendo com que Ele se sentisse muito feliz. Por que esse abraço foi tão prazeroso? Porque normalmente Ele faz tantas artimanhas para que Radhika O abrace, mas naquele momento Ela havia abraçado Ele por vontade própria, sem muito esforço da parte dEle. Por isso que Ele gosta tanto desses passatempos no festival do balanço.

  Nós nos lembramos desses passatempos de Jhulan Yatra quando balançamos Radha e Krsna com a aspiração de que um dia esses passatempos se manisfestem em nosso coração. Uma sakhi (amiga) de Radharani deve vir ao nosso coração e limpá-lo, preparar um balanço bem bonito e convidar Radha-Krsna para vir e sentar nesse balanço. Por esse motivo Srimati Radharani manda Suas sakhis a esse mundo. Para que a gente receba Harinama e através disso limparmos nosso coração.

   Essa é a especialidade de Sri Guru. Se não nos abrigarmos nele e sem a associação direta dele, quem vai nos apontar nossas falhas e necessidades? Essa é a maneira de limpar nosso coração. Pelos nossos próprios esforços, por apenas cantar e ler independentemente, nós não seremos capazes de limpar nossos corações para que Radha e Krsna possam vir e sentar lá.

  Então o festival de Jhulan Yatra é uma oportunidade especial para orar, enquanto balançamos Radha e Krsna, pela guia de um mestre espiritual fidedigno, que é um amigo eterno de Srimati Radharani. Ao balançar Radha e Krsna nós podemos orar: “Ó Radhe Ó Krsna, por favor, envie-me Sua sakhi, para que eu possa serví-lOs sob a guia dEla, para que eu possa abandonar minha independência e assim me torne Seu verdadeiro servo.”

Fonte: Compilação de anotações que eu fiz em aulas de Srimati Uma didi e Srimati Savita didi onde elas repetiram o que ouviram de Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja durante o festival de Jhulan Yatra. (Ramananda das).

Krsna como “vendedora” de pulseiras.


    A notícia de que Radha estava em Varsana já havia alcançado Krsna. A primeira coisa que ele pensou foi: “Como eu posso chegar lá? Eu não tenho nenhum relacionamento com Ela. O que eu direi a Vrsabhanu Maharaja quando chegar lá? O que eu direi a ele quando me perguntar por que eu fui até lá?" Então Vrnda devi ofereceu ajuda a Ele e disse, "Primeiro você deve trocar essa roupa que está usando e se vestir como uma Mohini." Ela deu a Ele roupas nas quais ninguém o reconheceria, e também uma bacia cheia de pulseiras. “Vá a Varsana vender essas pulseiras, especialmente em Antipura porque certamente Radhika estará lá. E Você deve cantarolar: ‘pulseiras a venda! ’”. Então Ele foi até Varsana e mesmo que externamente estivesse cantando, internamente ele sentia fortes saudades.

   Quando Lalita ouviu esse cantarolar ela se sentiu imediatamente atraída, e disse a suas amigas: “Minhas pulseiras quebraram, vamos chamá-la.” Elas convidaram Mohini ao jardim delas e Radharani trouxe um pano para ‘ela’ se sentar e mostrar as pulseiras. ‘Ela’ mostrou pulseiras verdes, amarelas, azuis e de outras cores, mas Radha rejeitou todas, dizendo: "Eu quero apenas pulseiras pretas". ‘Mohini’ então pegou uma pulseira preta. Na Índia é normal que a pessoa que vende pulseiras coloque as pulseiras no pulso de quem esteja comprando. Por isso para por a pulseira no pulso de Radhika ‘ela’ segurou a mão de Radhika bem forte. No momento em que ‘ela’ colocou a pulseira no pulso de Radha, esta soube imediatamente que essa ‘Mohini’ era Krsna, "Apenas Ele segura minha mão dessa forma" pensou. Ela sinalizou então com os olhos para Lalita entender que "é aquele menino negro".

    Agora era o momento de pagar pelas pulseiras, Radharani então disse: "Eu tenho um presente muito bonito para você. Eu quero lhe dar um vestido." Radhika pediu a Lalita o vestido e Lalita pediu à Rupa-manjari para ir buscá-lo. Ao receber o vestido Radharani disse a Lalita, "Dê isso a ‘ela’ e faça com que 'ela' vista isso." Krsna estava pensando sobre o que fazer, "Eu sou capaz de levantar a Colina de Govardhan sem maiores problemas, e Eu sou capaz de matar muitos demônios, mas o que acontecerá se Radhika ficar brava comigo? Ó Narayana, por favor, me salve!" Ele tentou fugir para longe, mas Ele já havia sido cercado pelas sakhis de Radharani e Ele não podia mais escapar. Lalita foi até ele, tirou as roupas de Mohini dele e disse: "Não era Mohini, mas sim Mohan!". Krsna conseguiu escapar delas finalmente e pensou “O que farei agora?” Naquele mesmo momento no outro lado do jardim Radhika foi dormir ainda se sentindo irada.

   Enquanto Radhika dormia, Lalita chamou Krsna e disse pra Ele massagear Srimati Radhika. Ela então abraçou Krsna pensando que Ele fosse uma de Suas sakhis. Quando Ela abriu os olhos viu que era Krsna, Sua ira se acabou e Eles desfrutaram de muitos passatempos doces e belos.

Fonte: Compilação de anotações que eu fiz em aulas de Srimati Uma didi e Srimati Savita didi onde elas repetiram o que ouviram de Srila Bhaktivedanta Narayana Gosvami Maharaja (Ramananda das).

Como pode uma alma condicionada capturada por maya compreender sua verdadeira identidade?


   Ela não pode compreender isto a não ser que Krsna a ensine. Porque Krsna é nosso único amigo e bem-querente, Ele fala o sastra somente para nos ensinar. Mas baseado em nosso próprio mérito, inteligência ou conhecimento mundano, não podemos compreender o sastra. É uma questão de tattva-vicara. Existem dois tipos de considerações, dois tipos de compreensão do sastra: apara-vicara e tattva-vicara, consideração aparente e consideração absoluta. Nossa filosofia vaisnava está baseada somente na consideração absoluta, tattva-vicara. Apara-vicara é condenado. Assim, um guru, um tattva-acarya é necessário.

   No Bhagavad-gita é dito que devemos aceitar um tattva-acarya, aquela pessoa que viu a verdade e conhece a verdade. De outra forma não há como obtermos este conhecimento. Embora o sastra esteja lá, somente por lê-lo não é possível entendê-lo. Krsna ensina através do sastra, do guru e do sadhu. A pessoa deve ser submissa e se aproximar de um vaisnava.

  Por ouvir de um sadhu apropriado você pode entender qual a sua verdadeira identificação: “Oh, ami krsna-dasa, sou um servo de Krsna”. Aqui é dito que a autoidentificação como um servo do Senhor é o começo da pureza da consciência.

   
 
Trecho traduzido do livro Pariprasna – The process of Inquiry de Sri Srimad Gour Govinda Swami Maharaja.

Por que o Rādhā-kunda é tão elevado?



   Podemos dizer que esse kunda é a própria Srimati Rādhikā, ele não apenas pertence a Ela. Rādhā-kunda é a própria Rādhikā e o Krishna-kunda é o próprio Krishna. Rupa Gosvāmi disse que esses Kundas são ainda mais misericordiosos que Krishna e Rādhikā, porque esses Kundas estão manifestos. Podemos tocar e nos banhar neles. Nós não podemos vivenciar o Krsna e a Rādhikā transcendentais, assim esses Kundas são mais misericordiosos para nós. Mesmo que não saibamos sobre as glórias do Rādhā-kunda e do Shyāma-kunda, assim mesmo vocês devem ir lá e respeitosamente pegar a água e respingar em vocês, tomar banho ou glorificar Srimati Rādhikā. Rādhikā ficará muito satisfeita, com certeza. E todos nós podemos obter a misericórdia de Rādhikā indo ao Rādhā-kunda e mesmo morando longe, mentalmente, podemos tomar banho e executar alguma meditação simples "Rādhā-kunda, Rādhā-kunda". Nārada dá a benção que se alguém tocar, ver ou ouvir sobre qualquer local dos passatempos puros de Krsna, Krsna terá que dar prema . Krsna promete "Sim, Eu sou obrigado a dar".

Fonte: A Misericórdia de Rupa Gosvāmi por Srila Bhaktivedanta Narayana Maharaja

Quais as razões confidenciais do aparecimento do Senhor Caitanya?



Experimentar a força do amor que é sentido por Radharani.
    Krsna diz: “Sou a causa primordial de todas as rasas. Sou a verdade espiritual plena e sou feito de alegria plena, mas o amor de Srimati Radharani deixa-Me louco. Não conheço a força do amor de Radha, com o qual Ela sempre Me arrebata. O amor de Radhika é Meu mestre, e Eu sou Seu discípulo dançarino.
   “Todo o prazer que Eu sinto ao saborear Meu amor por Srimati Radharani, Ela saboreia dez milhões de vezes mais do que Eu devido ao amor dEla”.

Descobrir o limite de Sua própria doçura

  Vendo a Sua própria beleza, o Senhor Krsna passou a considerar. “Minha doçura é maravilhosa, infinita e plena. Ninguém nos três mundos pode descobrir seu limite. Somente Radhika, pela intensidade de Seu amor, saboreia todo o néctar de Minha doçura. Embora o amor de Radha seja puro como um espelho, sua pureza aumenta a cada momento. Minha doçura também não tem como expandir-se, não obstante ela brilha diante desse espelho com beleza sempre nova. Há uma competição constante entre Minha doçura e o espelho do amor de Radha. Embora ambos estejam sempre se ampliando, nenhum deles conhece a derrota. Minha doçura é sempre cada vez mais nova. Os devotos saboreiam-na segundo seu próprio e respectivo amor. Se contemplo Minha doçura num espelho, sinto-Me incitado a saboreá-la, mas, não obstante, não posso. Se delibero sobre um modo de saboreá-la, descubro que anseio pela posição de Radhika”.

Saborear a felicidade da doçura de amor conjugal das gopis - rudha-bhava
  Quando veem o Senhor Krsna, as gopis sentem bem-aventurança ilimitada, embora não desejem tal prazer. As gopis experimentam um prazer dez milhões de vezes maior do que o prazer que o Senhor Krsna sente ao vê-las.

Conclusão: Com a atitude de Srimati Radharani, Ele também satisfez Seus próprios desejos. É esta a razão principal para Seu aparecimento.









Fonte: Sri Caitanya-caritamrta de Krsnadas Kaviraja Gosvami




 


 

Por que os Vedas afirmam que o Senhor é impessoal?


      O Senhor Caitanya responde: A descrição impessoal da Verdade Absoluta no Vedas é dada para anular a concepção mundana do todo absoluto. As características pessoais do Senhor são completamente diferentes de todos os tipos de características mundanas. Todas as entidades vivas são pessoas individuais, e são partes integrantes do todo supremo. Se as partes integrantes são pessoas individuais, a fonte de sua emanação não pode ser impessoal. Ele é a Pessoa Suprema entre todas as pessoas relativas.

 
 
 
 
 
      Relato de Srila Bhaktivedanta Swami Prabhupada  na introdução do  Srimad-Bhagavatam 1-1.