Quem é RAMANUJACARYA?


Ramanujacarya
  Ele é o acarya da SRI-sampradaya. O acarya original da SRI-sampradaya é LAKSMI-DEVI, mas em Kali-Yuga, o acarya é RAMANUJACARYA. Ele pregou a doutrina VISISTA-ADVAITA-VADA; o monismo qualificado. E a deidade adorável da SRI-sampradaya é LAKSMI-NARAYANA.


   Especialmente quando o Senhor Sri Caitanya Mahaprabhu viajou para o Sul da Índia, ele ficou na casa dos tios de Gopala-bhatta Gosvami, que se chamavam Tirumala-bhatta, Vyenkata-bhatta e Prabhodananda Sarasvati-pada, todos da SRI-sampradaya.


  O nome dele é RAMA – ANUJA. Isto significa: Anuja significa o irmão mais novo. Então RAMANUJA significa “o irmão mais novo do Senhor RAMA”.

Sri Sita-Rama e Laksamana

  O Laksamana do Rama-lila, apareceu agora na forma de SRI RAMANUJACARYA e outro nome dele também é LAKSAMANA-DESIKA. Desde a infância, RAMANUJACARYA era muito poderoso. Ele tinha aprendido todas as escrituras de um guru impersonalista que se chamava YADAVACARYA.

  Um dia, RAMANUJACARYA estava massageando as costas de seu gurudeva com óleo. Um dos discípulos perguntou para este gurudeva sobre um sloka do Chandogiya-Upanisad que exaltava a beleza dos olhos do Senhor Visnu.

tasya yatha kapyasam pundarikame vamaksini (Chandogya Upanisad 1.6.7)


  A palavra mencionada no sloka era “KAPASYASAM”. Que é a reunião das palavras “kapasa” e “asam". Yadavacarya explicou que esta palavra “kapasya” significava “kapa-macaco” e “asam-traseiro”; ou traseiro do macaco. O traseiro do macaco tem duas partes, é vermelho, e as duas partes parecem dois olhos. Então, o guru impersonalista explicou que os olhos do Senhor são como a bunda vermelha de um macaco.


  Então, RAMANUJACARYA começou a chorar: "Por que meu Gurudeva está dando esta explicação estúpida? Os olhos de Deus são tão lindos como um lótus desabrochado. Por que ele está comparando os olhos de Deus com o traseiro de um macaco?"


  RAMANUJACARYA continuou a massagear as costas do guru impersonalista com óleo, mas ao chorar, as lágrimas começaram a cair nas costas de seu Guru. O guru virou e perguntou: "Por que você está chorando?" RAMANUJACARYA, um menino bem pequeno disse: "Gurudeva, porque você deu este exemplo de que os olhos de Deus são como o traseiro vermelho de um macaco?"


  Yadavacarya era impersonalista, então ele alegou que Deus não tem olhos, não tem forma, é nirvisesa, por isto que comparou os olhos de Deus com o traseiro vermelho de um macaco. O BRAHMAN, para os impersonalistas é nirakara, nirvisesa, não tem forma, não tem olhos, não tem nada disto.


   RAMANUJACARYA perguntou: Então, porque os Upanisads comparam os olhos de Deus com “KAPASA”? Yadavacarya respondeu: por isto que o significado é simples “como a bunda de um macaco.” Mas RAMANUJACARYA disse: "Não gurudeva. Sua resposta está equivocada e na verdade você está criticando DEUS".


   Yadavacarya ficou muito zangado e disse: “Ei!!! Você falou demais para um menino. Você entende de sânscrito? Entende que KAPASYASAM significa a bunda vermelha de um macaco?”


   O menino RAMANUJACARYA disse: “Gurudeva, sua explicação está totalmente errada.” E o Guru falou: “Ok então. Você, um menino, sabe mais do que eu? Fale-me !!!”


  Então, aquele menininho RAMANUJACARYA deu uma explicação maravilhosa de que a palavra KAPASYASAM significa “os olhos de Deus que são muito belos como um lótus desabrochado.” Ele dividiu a palavra em duas: KOPI e ASAM. KOPI significava o SOL; e ASAM significa DESABROCHAR.


  Ramanujacarya explicou o significado do sloka: “o Sol que tira a água com seus raios e assim, o lótus desabrocha”, pois a palavra sânscrita ASAM também pode significar DESABROCHAR. E também significa “aquele que faz o lótus desabrochar”, que é o SOL. Quando o Sol raia, o lótus desabrocha.
Assim, a explicação completa deste sloka é que “os olhos de Deus são como um lótus desabrochado”.

  Yadavacarya, o guru impersonalista, tinha comparado os olhos de Deus com a bunda vermelha de um macaco. Mas este menino RAMANUJACARYA, apesar de ser um garoto, explicou que KAPASYAM significa o lótus desabrochado; e que os olhos de Deus são belos, comparados a um lótus RECÉM-DESABROCHADO. Um dos nomes do Senhor é exatamente KAMALA-NAYANA, "aquele que possui olhos como de lótus".
As escrituras explicam que os olhos de Deus são belíssimos, tais como um lótus [kamala-nayana].


 Palavras de Srila Bhaktivedanta Vana Maharaja.


Sri Ramanujacarya